• Anúncio Global
    Respostas
    Exibições
    Última mensagem

Será que há um jeito mais fácil???

Será que há um jeito mais fácil???

Mensagempor rebeca_souza » Ter Dez 08, 2009 15:17

Olá a todos,
Meu nome é Rebeca e estou estudando para fazer a prova do curso técnico do IFRN. Resolvendo as questoes da prova de 2008, tive dificuldade nessa questão, pois apesar de ter chegado à alternativa correta, não gostei do método que utilizei.

39. Suponha que duas partículas A e B se movem no plano cartesiano, de modo que, em cada instante t, as coordenadas da partícula A são dadas por (2t , 3-t) e as coordenadas da partícula B, (4t , 3t-2). Com base nessas informações, é correto afirmar que
a) as partículas colidem uma com a outra no instante t=2.
b) a partícula A passa pelo ponto (4,5).
c) a distância entre as partículas, no instante t=1, é igual a 5^(1/2).
d) a partícula B passa pelo ponto (4,8).

Eu tentei resolver por parametrização mas nao cheguei a lugar algum. Por favor me digam onde errei.
A: x=2t e y =3-t
t=(1/2)x
y=3-(1/2)x

B: x=4t e y=3t-2
t=(1/4)x
y=(3/4)x-2

Se as partículas colidem então elas estão no mesmo ponto certo??? Então eu assumi que eu deveria igualar as equações...
3-(1/2)x=(3/4)x-2
(3/4)x+(1/2)x=3+2
(5/4)x=5
x=4
Ai a coisa desandou....
para a partícula A, x=4 em t=2. Mas em t=2, x=8 para a partícula B :oops:
Então eu fui checando as alternativas, pois não sabia mais o que fazer...

b) a partícula A passa pelo ponto (4,5).
x=4
t=(1/2)x
t=2
y =3-t
y=3-2
y=1 que é diferente de 5

c) a distância entre as partículas, no instante t=1, é igual a 5.
A: x=2t
x=2
y=3-t
y=2
A: (2,2)

B: x=4t
x=4
y=3t-2
y=3-2=1
B: (4,1)

Bem eu não sou de decorar fórmulas, só sei que eu calculo a distância entre dois pontos assim:
d=\sqrt{(x-x')^2+(y-y')^2}
d=\sqrt{(2-4)^2+(2-1)^2}
d=\sqrt{2^2+1}
d=\sqrt{5}

d) a partícula B passa pelo ponto (4,8).
x=4
t=(1/4)x
t=1
y=3t-2
y=3-2
y=1 que é diferente de 8

Eu só gostaria de saber se existe um jeito mais prático de resolver esse tipo de questão, pois como estou estudando para um concurso, cada minuto é precioso...
Desde já, muito obrigada a todos.
Rebeca Souza
rebeca_souza
Novo Usuário
Novo Usuário
 
Mensagens: 9
Registrado em: Ter Dez 08, 2009 00:48
Formação Escolar: GRADUAÇÃO
Área/Curso: Fisica bacharelado incompleto na ufrn
Andamento: cursando

Re: Será que há um jeito mais fácil???

Mensagempor Elcioschin » Qua Dez 09, 2009 13:28

Você poderia ter simplificado assim:

A ----> x = 2t ----> t = x/2 ----> y = 3 - t ----> y = 3 - x/2 ----> x = 6 - 2y ----> Equação I

B ----> x = 4t ----> t = x/4 ----> y = 3t - 2 ----> y = 3*(x/4) - 2 ----> 4y = 3x - 8 ----> Equação II

I em II ----> 4y = 3*(6 - 2y) - 8 ----> 4y = 18 - 6y - 8 ----> 10y = 10 ----> y = 1----> x = 4

Para a partícula A ----> tA = x/2 ----> tA = 4/2 ----> tA = 2 ----> OU y = 3 - tA ---> 1 = 3 - tA ----> tA = 2

Para a partícula B ----> tB = x/4 ----> tB = 4/4 ----> tB = 1 ----> OU y = 3tB - 2 ---> 1 = 3tB - - 2 ----> tB = 1

Os tempos são diferentes porque o movimento de A começou antes de B

a) Falso
b) Falso ----> Para xA = 4 ----> yA = 1
c) Verdadeira (Vc provou isto)
d) Falso ---> Para xB = 4 ----> yB = 1

Não existe jeito mais fácil.
Elcioschin
Colaborador Voluntário
Colaborador Voluntário
 
Mensagens: 624
Registrado em: Sáb Ago 01, 2009 10:49
Formação Escolar: GRADUAÇÃO
Área/Curso: Engenharia
Andamento: formado

Re: Será que há um jeito mais fácil???

Mensagempor rebeca_souza » Qua Dez 09, 2009 14:41

Muiiiiiiiiiiiiiiito obrigada Elcioschin!

Bem o que você me mostrou é bem mais rápido do que o que eu fiz. ;) Confesso que nunca fui muito boa em matemática. Era daquele tipo de aluno que só resolvia as questões da lista de exercício sabe, :$ entretanto eu sempre me dava bem nas provas, mas a falta de prática me impediu de desenvolver meu raciocínio e de aprender um monte de conteúdo, até mesmo na faculdade...
Obrigada mais uma vez pela atenção.
Rebeca Souza
rebeca_souza
Novo Usuário
Novo Usuário
 
Mensagens: 9
Registrado em: Ter Dez 08, 2009 00:48
Formação Escolar: GRADUAÇÃO
Área/Curso: Fisica bacharelado incompleto na ufrn
Andamento: cursando


Voltar para Geometria Analítica

 



  • Tópicos relacionados
    Respostas
    Exibições
    Última mensagem

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante

 



Assunto: Taxa de variação
Autor: felipe_ad - Ter Jun 29, 2010 19:44

Como resolvo uma questao desse tipo:

Uma usina de britagem produz pó de pedra, que ao ser depositado no solo, forma uma pilha cônica onde a altura é aproximadamente igual a 4/3 do raio da base.
(a) Determinar a razão de variação do volume em relação ao raio da base.
(b) Se o raio da base varia a uma taxa de 20 cm/s, qual a razão de variação do volume quando o raio mede 2 m?

A letra (a) consegui resolver e cheguei no resultado correto de \frac{4\pi{r}^{2}}{3}
Porem, nao consegui chegar a um resultado correto na letra (b). A resposta certa é 1,066\pi

Alguem me ajuda? Agradeço desde já.


Assunto: Taxa de variação
Autor: Elcioschin - Qua Jun 30, 2010 20:47

V = (1/3)*pi*r²*h ----> h = 4r/3

V = (1/3)*pi*r²*(4r/3) ----> V = (4*pi/9)*r³

Derivando:

dV/dr = (4*pi/9)*(3r²) -----> dV/dr = 4pi*r²/3

Para dr = 20 cm/s = 0,2 m/s e R = 2 m ----> dV/0,2 = (4*pi*2²)/3 ----> dV = (3,2/3)*pi ----> dV ~= 1,066*pi m³/s


Assunto: Taxa de variação
Autor: Guill - Ter Fev 21, 2012 21:17

Temos que o volume é dado por:

V = \frac{4\pi}{3}r^2


Temos, portanto, o volume em função do raio. Podemos diferenciar implicitamente ambos os lados da equação em função do tempo, para encontrar as derivadas em função do tempo:

\frac{dV}{dt} = \frac{8\pi.r}{3}.\frac{dr}{dt}


Sabendo que a taxa de variação do raio é 0,2 m/s e que queremos ataxa de variação do volume quando o raio for 2 m:

\frac{dV}{dt} = \frac{8\pi.2}{3}.\frac{2}{10}

\frac{dV}{dt} = \frac{16\pi}{15}